logo

Lousitânea

O Território

Locais de interesse no concelho de:

Góis:

Vila de Góis:

  • Ponte Joanina (séc. XVI) e Capela-Mor da Igreja Matriz (Séc. XVI) – ambos Monumentos Nacionais
  • Parque do Cerejal (parque de merendas)
  • fonte do Largo do Pombal, com cisterna revestida a azulejos hispano-árabes (Séc. XVI)
  • Edifício da C.M.Góis – tectos em masseira, com caixotões pintados na tradição brutesca (Salão Nobre) e caixotões de pintura figurativa e cenas do Antigo Testamento (Sala da Presidência), ambos do séc. XVII
  • diversas capelas (Sto. António, Misericórdia, S. Sebastião)
  • núcleo museológico do Antigo Hospital de Góis e dos Paços Velhos
  • e restante núcleo histórico de Góis com casas solarengas e edifícios com cantarias e pórticos manuelinos

No concelho de Góis:

  • Lagar de Varas de Azeite (Séc. XIX) e Ponte Velha da Cabreira (Séc. XIX) – Cabreira/Cadafaz
  • Conjunto montanhoso da Serra da Lousã (ponto mais alto do concelho de Góis) com Parque da Oitava (Parque de Merendas), Penedos de Góis (crista quartzítica com fósseis marinhos, Pedra Letreira (Cabeçadas), núcleo de poços de neve em Sto. António da Neve (antiga fábrica real de gelo) e o ponto mais alto da Serra da Lousã – o Trevim
  • Vale do Ceira com itinerário saindo de Góis, passando por Cabreira-Sandinha-Capelo, Colmeal, regresso por Candosa – Cadafaz – Corterredor - Folgosa - Tarrastal – Góis
  • Parque Florestal da Oitava, referir que a intervenção da CM Góis / Serviços Florestais naquela linha de água levou à criação da zona de lazer do Parque Florestal da Oitava. Com parque de merendas e parque infantil. Plantaram-se diversas espécies de resinosas exóticas (Pseudotsugas, ciprestes…), mas também existem alguns azevinhos. Aqui ainda se vêem muitos castanheiros e alguns amieiros junto à água. Junto ao Parque da Oitava têm sido plantados pela Lousitânea e LPN diversas árvores como azevinhos, carvalhos e castanheiros. Antes do Parque de Merendas pode-se ver com facilidade a plantação de azevinhos com protecções de rede verde e plástico branco.
  • Para mais informações consulte o site www.cm-gois.pt – posto turismo – tel. 235 770 113

Lousã:

  • Paços do Concelho (séc. XX),
  • Pelourinho (séc.XX – neomanuelino),
  • Diversos solares no centro histórico (Casa da Quinta de Baixo, Palácio Viscondessa do Espinhal / Hotel, Casa de Cima da rua Nova, Casa de Baixo da rua Nova, Casa da Quinta do Cano, Casa S. Bento, Casa do Fundo da Vila, Casa da Quinta de Santa Rita, Casa do Comendador Montenegro, Casa da Lagartixa),
  • Capela da Misericórdia (séc. XVI),
  • Igreja Paroquial S. Silvestre (séc. XIX),
  • Castelo da Lousã (séc.XI/XIV) e Santuário Nª Sra. Piedade, conjunto de 4 capelas (S. João, Senhor da Agonia, Nª Sra. da Piedade e junto ao castelo a capela do Senhor dos Aflitos – Séc. XV-XX).
  • EcoMuseu da Serra da Lousã: Núcleo de doçaria e gastronomias locais, Lagar de Azeite Mirita Sales e Museu Etnográfico Dr. Louzã Henriques.

Não deixe de visitar ainda no concelho da Lousã, a freguesia de Foz de Arouce, local onde o rio Arouce se junta ao rio Ceira e pode ver a Ponte Medieval sobre o rio Ceira (séc.XIV) e o Padrão Comemorativo da Vitória Anglo-Lusa sobre o exercito francês de Napoleão. Visite ainda o Palácio dos Condes de Foz de Arouce (séc. XVIII)
Para mais informações consulte o site www.cm-lousa.pt – posto turismo – tel. 239 990 040

Castanheira de Pêra

  • Capela Antiga de Pêra – Capela mais antiga deste Concelho. Edifício do Século XVII, edificada a 1695.
  • Museu “Casa do Tempo”- espaço vocacionado para a preservação e valorização do património relacionado com a arte tipográfica.
  • Santo António da Neve - No antigo Cabeço do Pereiro ergue-se uma capela em honra de Santo António e porque foi mandada construir por Julião Pereira de Castro, neveiro-mor da casa Real, passou o local a designar-se por Santo António da Neve.
  • Poços da Neve e o Ofício do Neveiro: Segundo um trabalho do Dr. Herlander Machado, os poços da neve são seguramente mais antigos do que a capela. Admite-se mesmo que sejam muito anteriores a Julião Pereira de Castro no ofício de que só há notícia devidamente documentada a partir de 1757 em alvará de D. José também assinado pelo Marquês de Pombal.
  • Lagar do Poço de Corga - Tratando-se de uma unidade industrial bastante antiga e praticamente artesanal, que utilizava, quase exclusivamente, como força motriz a energia hidráulica aproveitada da ribeira de Pêra.
  • Casa do Neveiro (Coentral)

Miranda do Corvo

  • Alto do Calvário -  panorâmica de toda a vila e das vertentes da serra da Lousã. Visite a Igreja Matriz (S. Salvador).
  • Capela de Nossa Senhora da Boa Morte. Encontra-se isolada num adro na vila.
  • Praça José Falcão, sala de visitas de Miranda do Corvo -  com o edifício dos Paços do Concelho, réplica do pelourinho quinhentista, construída no âmbito das comemorações dos 870 anos da Carta de Foral de Miranda do Corvo
  • Capela de São Sebastião e vários monumentos escultóricos, nomeadamente a estátua da liberdade, o monumento de homenagem ao oleiro, o monumento ao trabalho, a estátua de homenagem à mulher e o monumento de homenagem aos ferroviários.
  • Santuário da Nossa Senhora da Piedade de Tábuas.
  • Gondramaz, uma aldeia de xisto onde o tempo parece ter parado.
  • Do alto da Freguesia de Vila Nova, junto ao parque eólico, se o tempo o permitir, os olhos alcançam o mar das praias da Figueira da Foz, a cidade de Coimbra e os campos do baixo Mondego. Com um pouco de sorte, será possível avistar veados ou corços.
  • Mosteiro de Santa Maria de Semide. Mosteiro de monges beneditinos, fundado em 1154, na localidade de Semide. Passou a convento de freiras para receber as descendentes de Martim Anaia, o fundador.
  • Santuário do Senhor da Serra, palco de uma centenária peregrinação e um miradouro de excelência de onde se avista todo o maciço central da Serra da Lousã à Serra da Estrela.
  • Rio de Vide
  • paisagem calcária de Lamas onde abundam os vinhedos. À tradição das vindimas associa-se a arte da tanoaria que Miranda do Corvo perpetuou num museu localizado na Quinta da Paiva. Nesta freguesia produz-se um excelente e afamado vinho graças às suas encostas soalheiras.

Figueiró dos Vinhos

  • Igreja Matriz (Monumento Nacional)
  • Torre da Cadeia;
  • Convento de Nª Senhora do Carmo (IIP);
  • O “CASULO” - Casa do Mestre Malhoa ;
  • Aldeias de Ferrarias da Foz de Alge;